quinta-feira, 16 de agosto de 2007

"Futuros amantes"


Para ele, ainda era muito cedo. Para ela, já era tarde demais.
Perspectivas à parte, ambos concordavam que aquele não era O Momento _na verdade, sequer era um momento qualquer.
Ela saiu correndo atrás das coisas para as quais ainda havia tempo.
Ele acreditou que bastava esperar. E esperou.
Sei que há algo de doce nessa pausa. Ele prevê o reencontro, o susto após tanto tempo, o abraço, o beijo, o sexo... Sim, ele já está vendo a casa, o quintal, o domingo, o carro, a estrada, a praia, o vento batendo no rosto dela (como era mesmo o rosto dela?)... Então deixa assim: ela caminha em direção ao mar, de vestido azul, os cabelos ao vento _foi procurar búzios para mostrar a ele, imagina.
Ele conhece cada detalhe dessa felicidade futura.
E não tem pressa.
Enquanto aguarda, treina seus beijos em meu corpo.
Eu também espero.
Por aquele momento, perdido no passado, em que, assustado, ele me reconhecerá.

5 comentários:

debora disse...

ô meu deuzu... :)

Mariana disse...

Na verdade, não tenho comentários. Quando alguém diz tudo, só nos resta o silêncio...
Lindo!

Ilis disse...

:)
bj, meninas

Simone Iwasso disse...

poesia e beleza. lindíssimo, ilis. vc tem o dom, mulher!

Ilis disse...

quem dera, sissi!
pero gracias, niña!
beso