quinta-feira, 2 de agosto de 2007

Dívidas

Neta de fazendeiros, filha de empresários, sobrinha de um vereador e prima de dois médicos, dona Neusinha nunca foi muito orgulhosa do marido vendedor que tinha.
A estranhos, diz que ele trabalha no comércio. No aconchego do lar, chama Ernesto de "camelô".
Ele não se importa, ou parece não se importar. Ou talvez também acredite que ela mereça algo melhor _e não há nada que ele possa fazer em relação a isso.
Ou quase nada.
À noite, faz dona Neusinha esquecer todas as jóias e viagens a que teria direito. Ela também tem outras fantasias, e ele não se acanha.
Ontem, foi borracheiro.

6 comentários:

Mariana disse...

Não quero dinheiro, eu só quero amar, só quero amar, só quero amar!

Ilis disse...

diga ao mundo inteiro!

Débora disse...

Sabida, essa dona Neusinha...

Simone Iwasso disse...

SENSACIONAL!
inspiração rodriguiana!
beijos!

Lira Neto disse...

Adorei o blog. Vou ficar freguês.
Beijos.

Ilis disse...

menino, tô chique demais com esse novo freguês!
venha mesmo!
:)