sexta-feira, 25 de maio de 2007

Boxe

Mais que amor. Mais que dinheiro. Mais que felicidade.
Mais que tudo e qualquer coisa você quer um saco de pancadas. Não só você. Todo mundo. Alguém que leve todas as porradas e entenda. Que você tem problemas, que você anda exausto, que são tantas e tantas as frustrações, borrando aqueles sonhos cada vez mais distantes.
E sempre tem alguém que entende. Que, só um pouquinho, aceita.
Geralmente, quem ama.
Depois chora no telefone, reclama: "Você não pode me tratar assim, eu não sou o seu saco de pancadas".
Mas não foi esse o acordo implícito desde o início?
Talvez eu abra uma loja. Sacos de pancadas _para dar e vender. Na vitrine, homens e mulheres lindos, sorrindo. De braços abertos. Sem prazo de validade.



Um comentário:

Débora disse...

Esses sacos de pancada aí não sentem dor. Já a gente...