terça-feira, 14 de outubro de 2008

eclipse

Sol a pino, o menino busca refúgio na sombra da mãe.
Mal sabe ele que essa sombra o acompanhará por muitos dias e noites e deixará em sua alma marcas muito mais profundas que as deixadas pelo sol em sua pele.
Menino, ouve: para crescer, é preciso nascer de novo, e de novo, e de novo.
Haverá sangue, haverá choro. Haverá luz.

12 comentários:

Agatha disse...

Menina, até hoje tô tentando aprender essa lição!

Ilis disse...

acho que é mesmo uma aprendizagem contínua, Agatha... O segredo é não desanimar...
:)
bj

Ana Claudia Pantoja disse...

Menina, foi você que me mandou a imagem! (rs)

Fazia um tempinho que você não encontrava um título tão incrível quanto esse. O texto todo vale muito a pena.

Ilis disse...

pois é, eu tenho amnésia mesmo...
e, cacau, um elogio teu não tem preço. obrigada, gata!
bj

Débora disse...

Ê, que lindo! Com todo o respeito ao espiritismo, reencarnação tem início só quando o corpo desliga? É que o corpo não precisa apagar: em uma única vida a gente morre e renasce mil vezes. Beijos, Ilis.

Lisa disse...

simplesmente genial. AMEI

Ana Claudia Pantoja disse...

Ah! AH é uma gracinha, mas tem namorada e é super sério. Pena.

Ilis disse...

Dé e Lisa, que bom que vcs curtiram. Obrigada pela visita!

Cacau... sossega! hehehehe.
;)
bj

Simone Iwasso disse...

fuerte, mulher, impressionante. mesmo!

Ilis disse...

como diria laura pausini: "la fuerza de la vida"
acertei?
brigada pelo comentário, fulô.
bj

Rackel disse...

Depois do eclipse... a luz! Sempre...

Um dia a gente aprende a lição, aprende sim...

bjs

Ilis disse...

Rackel, o mínimo que posso dizer é que teu comentário veio na melhor hora possível.
Um beijo